Documento sem título
 
   
(11) 3326-6857
(11) 2849-1708
(11) 95321-0970
 
HOME
 
QUEM SOMOS
 
JURÍDICO
 
PARA ASSOCIADOS
 
SEDES
 
CONTATO
 
     
 
Documento sem título
 
ASSOCIADOS
Seja Associado
Benefícios
Parceiros
Contribuições
Convenções e Acordos
Em Ação (Galeria)
Notícias
Informativos
 
 
Notícia - Saiba como funciona a venda de fĂ©rias no emprego domĂ©stico
Saiba como funciona a venda de férias no emprego doméstico

Lei estabelece que o empregado pode dividir as férias em dois períodos sendo que um não pode ser menor que quatorze dias


É estabelecido pela Lei Complementar 150 que o empregado doméstico tem direito a férias anuais remuneradas de 30 dias após doze meses de trabalho prestado à mesma pessoa ou família. O trabalhador também recebe acréscimo de um terço do salário normal.

A lei também determina que o período de férias poderá ser fracionado em até dois períodos, por escolha do empregador, sendo que um desses períodos precisa ter, no mínimo, 14 dias corridos. A lei também garante ao empregado o direito de vender 1/3 do tempo das férias para o empregador. Saiba como funciona.

O pagamento das férias deve ser efetuado até 2 dias antes do início do respectivo período e as férias só poderão ser iniciadas dois dias antes de feriado ou dia de repouso semanal remunerado.



Venda das férias
No emprego doméstico, o trabalhador só pode vender 1/3 do tempo de suas férias para o empregador. No caso do empregado que tira 30 dias, ele só poderá vender 10 dias para o empregador. Isso significa que o empregado continua exercendo suas atividades durante os dias que foram “vendidos”. Este período será convertido em abono pecuniário.

O empregado precisa solicitar ao empregador até 15 antes do término do período aquisitivo, que antecede o mês das férias, a venda de 1/3 de suas férias.



Desconto dos dias de férias
Se o empregado faltar mais de cinco vezes, sem justificativa, dentro do ano aquisitivo e o empregador tiver descontado as faltas no recibo mensal, essas faltas poderão ser abatidas do período de férias. Mesmo com essas faltas, o empregado ainda pode vender 1/3 de suas férias, de acordo com os dias que terá a direito de gozo.





Já os trabalhadores que ficarem afastados por seis meses ou mais, dentro do ano aquisitivo, seja por auxílio-doença, acidente de trabalho ou licença não remunerada concedida pelo empregador, ele não terá direito às férias.



Fonte: Doméstica Legal
 
     
Documento sem título
 
Sede Social - São Paulo:

Avenida Casper Libero, 383 - 13ª Andar - Sala 13C
Santa Efigênia - São Paulo/SP

Tel.: (11) 3326-6857 / 2849-1708

e-mail: diretoria@sindomestica.com.br
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados