Documento sem título
 
   
(11) 3326-6857
(11) 2849-1708
(11) 95321-0970
 
HOME
 
QUEM SOMOS
 
JURÍDICO
 
PARA ASSOCIADOS
 
SEDES
 
CONTATO
 
     
 
Documento sem título
 
ASSOCIADOS
Seja Associado
Benefícios
Parceiros
Contribuições
Convenções e Acordos
Em Ação (Galeria)
Notícias
Informativos
 
 
NotŪcia - Empregada dom√©stica era trancada em √°rea de servi√ßo por empres√°ria
Empregada doméstica era trancada em área de serviço por empresária

Minist√©rio P√ļblico Federal no Rio de Janeiro denunciou patroa por trabalho escravo. V√≠tima tamb√©m n√£o recebia sal√°rio

O Minist√©rio P√ļblico Federal no Rio de Janeiro denunciou uma empres√°ria por trabalho escravo. Segundo a acusa√ß√£o, entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011, a acusada teria submetido uma das empregadas dom√©sticas que trabalhava em sua casa em Copacabana (zona sul) a condi√ß√Ķes degradantes de trabalho.

De acordo com a den√ļncia, a empres√°ria "manteve a v√≠tima trancada na √°rea de servi√ßo durante uma semana, sem direito a circular pelo restante da casa ou se alimentar".

A Procuradoria n√£o divulgou o nome da acusada.

Na época, a vítima adoeceu. Segundo testemunhas, a denunciada considerou que, se a empregada "não podia trabalhar, também não receberia salário nem se alimentaria".


Os relatos também dão conta de que a denunciada "xingava recorrentemente a vítima e proibia que ela e outra funcionária se sentassem no sofá da sala para assistir TV, alegando que teria que passar álcool caso o fizessem".

Além disso, a jornada era exaustiva, de 7h à meia noite, sem intervalo de descanso ou repouso semanal. Segundo a acusação, a empresária morava em Brasília e foi residir no Rio, levando a vítima junto.

Para evitar que a empregada fosse embora, a denunciada alegava uma dívida em função da venda de móveis para a trabalhadora. Alegava também que a vítima havia "manchado blusas e quebrado itens da casa, o que seria descontado de seu salário". Fazia ameaças, afirmando que no Rio "qualquer bandido bateria por R$ 50 e mataria por R$ 100".

O caso foi denunciado pelo Minist√©rio P√ļblico do Rio em 2014 e a Justi√ßa Estadual declinou a den√ļncia para a Justi√ßa Federal. A a√ß√£o foi remetida ent√£o ao Minist√©rio P√ļblico Federal em abril de 2018, que denunciou novamente o crime e reiterou a compet√™ncia federal para o julgamento da a√ß√£o.

Fonte: R7
 
     
Documento sem título
 
Sede Social - São Paulo:

Avenida Casper Libero, 383 - 13ª Andar - Sala 13C
Santa Efigênia - São Paulo/SP

Tel.: (11) 3326-6857 / 2849-1708

e-mail: diretoria@sindomestica.com.br
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados