Documento sem título
 
   
(11) 3326-6857
(11) 2849-1708
(11) 95321-0970
 
HOME
 
QUEM SOMOS
 
JURÍDICO
 
PARA ASSOCIADOS
 
SEDES
 
CONTATO
 
     
 
Documento sem título
 
ASSOCIADOS
Seja Associado
Benefícios
Parceiros
Contribuições
Convenções e Acordos
Em Ação (Galeria)
Notícias
Informativos
 
 
NotŪcia - Conhe√ßa 3 riscos da antecipa√ß√£o de f√©rias do empregado dom√©stico
Conheça 3 riscos da antecipação de férias do empregado doméstico

De acordo com a PEC dos Domésticos e a Constituição Federal, a cada 12 meses de trabalho (período aquisitivo) o trabalhador tem direito a férias anuais remuneradas com um adicional de, pelo menos, 1/3 da remuneração. O descanso deve ser concedido nos 12 meses subsequentes (período concessivo), caso contrário, deverá ser remunerado em dobro.

Para coincidir os períodos de descanso, muitos empregadores optam por fazer a antecipação de férias do empregado doméstico, mas essa prática não é permitida pela lei e gera alguns riscos. Preparamos este texto para esclarecer o que significa antecipar as férias e quais são os riscos que essa medida traz para o contratante.

Confira!
Entenda o que é a antecipação de férias do empregado doméstico

A antecipação de férias ocorre quando o patrão as concede para o empregado antes que ele complete 12 meses de trabalho. Essa prática é considerada irregular porque, de acordo com o artigo 134 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o descanso deve ser concedido após o trabalhador adquirir esse direito, o que só acontece depois de completar o período aquisitivo.

Portanto, quando as férias do patrão e do empregado não coincidirem, mas os serviços do trabalhador também não forem necessários no período, a opção é conceder um descanso remunerado. Assim, não é necessário arcar com o adicional de 1/3 constitucional e o patrão garante o cumprimento da legislação, evitando prejuízos no futuro.

Confira 3 riscos de antecipar as férias do empregado doméstico

Depois de entender como funciona a antecipação das férias e por que ela é considerada irregular é importante conhecer os riscos que essa conduta oferece para o empregador.

Veja a seguir!
1. Aplicação de multa
De acordo com o art. 153 da CLT, aplicado tamb√©m √†s rela√ß√Ķes de emprego dom√©stico, as infra√ß√Ķes cometidas em rela√ß√£o √†s f√©rias dos empregados s√£o punidas com multa administrativa de R$ 170,26 por trabalhador, aplicada pelo √≥rg√£o fiscalizador e n√£o revertida ao empregado. Al√©m disso, em caso de reincid√™ncia, embara√ßo ou resist√™ncia √† fiscaliza√ß√£o, a multa pode ser dobrada.

2. Pagamento das férias em dobro
Como a lei não prevê a possibilidade de antecipação de férias, essa conduta é considerada irregular. Desse modo, o período deve ser remunerado em dobro, da mesma forma que acontece nos casos em que o fracionamento do período é feito de forma ilegal, por exemplo. Além disso, em caso de eventual rescisão contratual o empregador também não poderá fazer nenhum desconto nas verbas devidas ao empregado em relação à antecipação das férias.

3. Ação trabalhista
A irregularidade na concess√£o das f√©rias pode fazer com que o empregado entre com uma reclamat√≥ria trabalhista para requerer os seus direitos. Essas a√ß√Ķes, al√©m dos custos com as verbas devidas ao trabalhador, tamb√©m geram gastos com custas processuais e honor√°rios advocat√≠cios, al√©m do transtorno de ter que lidar com os tr√Ęmites judiciais.

Fonte Lalabee
 
     
Documento sem título
 
Sede Social - São Paulo:

Avenida Casper Libero, 383 - 13ª Andar - Sala 13C
Santa Efigênia - São Paulo/SP

Tel.: (11) 3326-6857 / 2849-1708

e-mail: diretoria@sindomestica.com.br
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados